Avaliação Iveco Daily City 30S13 versão Furgone

Avaliação Iveco Daily City 30S13 versão Furgone

Posted by: Carolina Vilanova
Em: 29/01/2019

Iveco Daily City: mobilidade na cidade  

Tendo acompanhado o mercado de VUCs (Veículos Urbanos de Carga) nos últimos quatro anos, em minha opinião o Iveco Daily, principalmente, na versão chassi cabine, é o veículo mais querido dos transportadores autônomos. O VUC a ser batido. Quem tem, está feliz; quem não tem, deseja comprar um.

Mais uma vez, ao meu ver, existem várias razões para que esse modelo agrade tanto, e um deles certamente é ter a ergonomia interna de um carro. A Iveco aliás, explora isso. E com razão, pois é uma vantagem pra quem passa o dia inteiro sentado ao volante fazendo distribuição nas cidades. E apesar de parecer um carro, é robusto feito um caminhão.

E para não perder a majestade resolveu caprichar na versão Daily City 30S13, essa que estamos testando na versão furgão. Primeiro ponto positivo: motorista com a carteira de habilitação categoria B – a que todo mundo tem – pode dirigir. Além disso, o veículo tem PBT Técnico de 3,5 toneladas, ou seja, livre circulação em grandes centros.

O furgão da Iveco é ideal para transporte de cargas fracionadas, entregas de e-commerce, distribuição de bens de consumo e qualquer outro material, haja vista sua versatilidade. E certamente vai ganhar espaço entre pequenos empresários e motoristas autônomos. Segundo a Iveco, o modelo foi desenvolvido para empresários que não são transportadores.

A primeira característica do modelo já foi falada: temos a sensação de estar dirigindo um veículo de passeio. Expressa também muito conforto e segurança para quem está dirigindo. Também ganha no quesito economia de combustível, o que é atraente pra quem precisa rodar muito.

Vamos falar sobre robustez, que a Daily City tem de sobra por conta da estrutura do chassi e do sistema de suspensão. Completamente novo, o chassi é composto pelo eixo traseiro da FPT Industrial, mais moderno e adequado para a missão de entregas em centros urbanos.

Ainda conta com a suspenção traseira com molas parabólicas e barra estabilizadora, que reforça a robustez com redução de vibrações. Já o conjunto de suspensão dianteira é independente com mola transversal de última geração, um requisito para a boa dirigibilidade.

O powertrain é outro destaque, depois que adotou um novo motor da FPT Industrial, o F1A de 2,3 litros, que atende o Proconve 7. Este conjunto é bastante conhecido na Europa e mais adequado a ciclos urbanos. Econômico, é capaz de alcançar potência de 130. Roda macio e é razoavelmente silencioso, para um motor diesel, é claro.

Na hora de abastecer, usamos o diesel S10 e não precisamos nos preocupar com o Arla, pois este engenho conta com a tecnologia EGR. Um torque linear de 32,6 Kgfm que começa em baixa, com 1.800 rotações e vai até 2.500 rpm. O câmbio de seis marchas tem engates fáceis e precisos.

O nosso modelo era equipado com computador de bordo, piloto automático e freios com ABS e distribuidor eletrônico de frenagem como equipamentos de série. Os opcionais disponíveis na nossa Daily eram o trio elétrico, ar-condicionado e rádio com Bluetooth. Tudo o que o transportador precisa para trabalhar com conforto e segurança.