Cofap recomenda verificar estado das pastilhas de freios

Cofap recomenda verificar estado das pastilhas de freios

Posted by: Carolina Vilanova
Em: 09/04/2021

Fundamental para garantir a segurança dos ocupantes de um veículo, Cofap recomenda verificar estado das pastilhas de freios. Os técnicos da Marelli Cofap Aftermarket explicam que, entre os componentes desse sistema, as pastilhas de freio são as que sofrem maior desgaste.

A especialista observa ainda que as pastilhas de freio são compostas de uma base metálica sobre a qual é depositado um composto produzido com diversos componentes especiais, cuja característica principal é o elevado coeficiente de atrito e têm a única função de reduzir a velocidade ou parar o veículo através do atrito.

Entre no nosso podcast

Acesse os vídeos no You Tube

Leia a Revista Frete Urbano

Quando acionamos o pedal de freio, elas são comprimidas contra os discos de freio, gerando uma força de atrito capaz de reduzir a rotação das rodas, o que consome o material da pastilha de freio. Se o material das pastilhas for totalmente consumido, restando apenas a placa metálica, o atrito é reduzido drasticamente, comprometendo a segurança.

Por isso, a regra número um que deve ser seguida por todos os motoristas é ficar sempre atento às condições das pastilhas de freios para não haver o risco de acidentes.

Vale destacar também que o atrito gera calor, e em condições específicas esse calor pode comprometer a eficiência das pastilhas e até mesmo condená-las. O melhor exemplo de situação em que isso pode ocorrer é descer uma serra em ponto morto.

Nessa condição, controlar a velocidade do veículo somente utilizando os freios por um longo período poderá superaquecer as pastilhas e gerar um efeito chamado vitrificação, que anula o atrito das pastilhas e, consequentemente, o veículo pode ficar sem freios. Além disso, o calor também pode provocar superaquecimento do fluido de freio e reduzir sua eficiência.

Para evitar os fenômenos gerados pelo calor no sistema de freios, especialmente como no exemplo citado, o motorista deve sempre manter o veículo engatado, aproveitando o chamado freio motor. Nos veículos com câmbio automático, essa função também é automática. Dependendo da velocidade e da intensidade do acionamento do pedal de freio, o sistema reduz automaticamente as marchas, criando o efeito freio motor.

Alguns sinais, como pedal do freio baixo e ruído excessivo ao frear, indicam que as pastilhas estão gastas e chegou a hora de procurar uma oficina mecânica. Isso deve ser feito o quanto antes. Dependendo do desgaste das pastilhas, elas danificarão os discos de freio, que deverão ser retificados ou mesmo substituídos, e o barato pode sair caro.

A substituição das pastilhas de freio deve ser feita sempre por eixo, isto é, cada lado do mesmo eixo deve receber um novo jogo de pastilhas. Esse cuidado garante que o carro fique sempre estável durante a frenagem, mantendo seu controle direcional. Essa dica também deve ser seguida para outros componentes do sistema de freios, como lonas, tambores e cilindros, ainda utilizados nos eixos traseiros de muitos modelos de veículos.

Outra recomendação é optar sempre por produtos de qualidade reconhecida. A marca Cofap está há mais de 60 anos no mercado, é uma das pioneiras no segmento de autopeças no Brasil e a principal empresa do aftermarket nacional. Graças aos investimentos no desenvolvimento de novos projetos e na aplicação das mais avançadas tecnologias de fabricação, se tornou sinônimo de durabilidade e conquistou a confiança do consumidor.

A Cofap conta com cerca de 450 códigos de pastilhas de freios, atendendo a mais de 90% da frota nacional de veículos. Recentemente foram lançados 20 códigos para diversas montadoras nacionais como Audi, Chevrolet, Citroën, Caoa Chery, Fiat, Honda, Hyundai, Mercedes-Benz, Volkswagen, entre outras.

Confira os códigos das pastilhas Cofap: PFC240021 (BMW Série 1, Série 3, X1 – traseira); PFC030066 (Citroën Jumper, Fiat Ducato, Peugeot Boxer – dianteira); PFC510003 (CAOA CHERY Tiggo 5X 1.5 a partir de 2019 – dianteira); PFC510004 (CAOA CHERY Tiggo 5X 1.5 a partir de 2019 – traseira); PFC010050 (Audi Q3, Volkswagen Passat e Tiguan – dianteira); PFC010051 (Audi A3 Sportaback 1.4/1.8 16V TFSI a partir de 2012 -traseira); PFC010053 (Volkswagen Golf GTI 2.0 TSI a partir de 2014 – traseira); PFC240020 (BMW X1 18i e 20i s Drive de 2006 a 2015 – dianteira); PFC080040 (Ford Edge 3.5L V6 a partir de 2008 – dianteira); PFC010052 (Volkswagen Touareg e Land Rover Range Rover – dianteira); PFC100021 (Honda New Civic Sedan Si 2.0 16V a partir de 2007 – dianteira); PFC020026 (Mercedes-Benz Nova Sprinter 515 a partir de 2012 – traseira); PFC020027 (Mercedes-Benz Nova Sprinter 311/415/515 a partir de 2012 – dianteira); PFC040052 (GM Equinox LT 2.0 Turbo a partir de 2018 e GM Equinox Premier 2.0 Turbo AWD a partir de 2018 – dianteira); PFC040053 (GM Nova Geração Onix a partir de 2000 – dianteira); PFC100020 (Honda Accord a partir de 2013 – traseira); PFC320025 (Hyundai Azera a partir de 2012 – dianteira); PFC320024 (Hyundai Azera a partir de 2012 – traseira); PFC320026 (Hyundai Creta 1.6/2.0 a partir de 2017 e Kia Cerato2.0 a partir de 2000 – dianteira); PFC030068 (Fiat Ducato Multi a partir de 2010, Fiat Ducato Série 18 2.3/2.8, a partir de 2001, Peugeot Boxer, vários modelos, Citroën Série 35, de 2001 a 2004 – dianteira).