Coluna De Olho na Saúde: Perigo das hepatites

Coluna De Olho na Saúde: Perigo das hepatites

Posted by: Carolina Vilanova
Em: 26/04/2018

Hits: 7

A coluna De olho na saúde é escrita por Thaís Rizzatt, médica anestesiologista
A coluna De olho na saúde é escrita por Thaís Rizzatt, médica anestesiologista

A esteatose hepática é o acúmulo de gordura nas células do fígado, também chamada de infiltração gordurosa ou doença gordurosa do fígado. Muitas vezes é assintomática, porém, de acordo com o estágio da doença podem apresentar dor abdominal à direita, aumento do volume abdominal, náusea, vômito, perda de peso e mal-estar geral.

A esteatose hepática pode ter várias causas:

  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas
  • Hepatites virais
  • Diabetes tipo 2
  • Sobrepeso ou obesidade
  • Aumento dos níveis de colesterol ou triglicérides
  • Medicação, como os corticoides
  • Hipotireoidismo
  • Cirurgia bariátrica, por alterações metabólicas, devido ao rápido emagrecimento.
  • Hipertensão arterial
  • Tabagismo
  • Idade superior a 50 anos

Em média uma em cada cinco pessoas com sobrepeso desenvolve esteatose, mais comum em pacientes que apresentam obesidade central, quando o diâmetro da cintura é maior que o do quadril. Porém, também pode aparecer em pessoas sem fatores de risco, como crianças e gestantes.

O diagnóstico pode ser feito pela elevação das enzimas hepáticas, no exame de sangue, normalmente descoberto em exames de rotina, quando em estágio inicial. Quando há aumento do fígado, o mesmo pode ser detectado no exame físico, ou no exame de imagem, como a ultrassonografia ou tomografia. Para avaliar a progressão da doença e a presença de inflamação, pode-se utilizar a elastotrafia hepática, exame rápido e indolor. Em alguns casos, solicita-se biópsia.

A esteatose classifica-se em

  • Grau 1 ou Esteatose hepática simples: o excesso de gordura é inofensivo. Geralmente, o paciente não tem sintomas e só descobre o problema através de um exame de sangue de rotina;
  • Grau 2 ou Esteatose hepática não alcoólica: além do excesso de gordura, o fígado está inflamado. Geralmente, o paciente sente sintomas como dor abdominal e barriga inchada;
  • Grau 3 ou Fibrose hepática: existem gordura e inflamação que causam alterações no órgão e nos vasos sanguíneos ao seu redor, mas o fígado ainda funciona;
  • Grau 4 ou Cirrose hepática: é a fase mais grave da doença e surge após anos de inflamação, sendo caracterizada por alteração em todo o fígado que causam redução do seu tamanho e deixam sua forma irregular. A cirrose pode evoluir para câncer ou falência hepática, quando é necessário fazer um transplante de órgão. Nesses casos o paciente pode apresentar edema de membros inferiores, prurido e coloração amarelada no corpo e olhos.

Perigo das hepatites: Tratamento

A esteatose é uma doença reversível, o tratamento consiste em mudanças alimentares, prática de atividade física regular, eliminar o consumo de bebidas alcoólicas, perda de peso e controle das doenças que pioram o problema como hipertensão e diabetes.

O tratamento é importante para evitar a progressão para cirrose. Alguns médicos recomendam vacinas contra hepatite B e C, para prevenir outras doenças hepáticas associadas.

Em crianças nos primeiros anos de vida, a esteatose é causada principalmente por doenças metabólicas. Já nas maiores e adolescentes, as causas são semelhantes às dos adultos. O tratamento na infância é de fundamental importância para prevenir danos irreversíveis na idade adulta.