Coluna Meu animal: Enriquecimento Ambiental

Coluna Meu animal: Enriquecimento Ambiental

Posted by: Carolina Vilanova
Em: 17/10/2019
A coluna Meu animal é escrita por Ana Julia L. Cagnassi, Médica Veterinária formada pela Universidade Metodista de São Paul
A coluna Meu animal é escrita por Ana Julia L. Cagnassi, Médica Veterinária formada pela Universidade Metodista de São Paulo

Nos dias atuais e nas grandes cidades, onde está a maioria da população, os espaços de moradia estão cada vez menores. Esta realidade afeta diretamente a vida dos animais de estimação, que hoje são 52 milhões de cães, contra 45 milhões de crianças de até 14 anos, de acordo com o IBGE.

Grande parte dos cães, de todos os portes, fica com muita energia acumulada e o espaço restrito dos apartamentos aumenta a probabilidade de problemas físicos e psicológicos, desde a obesidade até a depressão. Portanto, hoje vamos falar sobre enriquecimento ambiental, uma forma de solucionar, mesmo que um pouco, os problemas que hoje são realidade para a maioria dos animais domésticos.

O enriquecimento ambiental significa melhorar, adaptar e trazer subsídios para que o animal fique mais confortável, feliz e saudável dentro do seu ambiente. É uma alternativa para evitar o tédio, solidão e uma série de outros problemas comportamentais que podem surgir na vida dos animais que passam a maior parte do tempo sozinhos. Todo mundo sabe animar o seu cão quando o assunto é passear, brincar com bolinhas e praticar esportes. Mas a questão principal aqui é, o que esse animal faz quando está sozinho, sem companhia e com tempo de sobra para gastar.

O objetivo principal é aumentar as opções de atividade e desafios dos animais, fazendo com que fiquem menos tempo em ociosidade. Veja algumas dicas abaixo das opções que você pode oferecer ao seu animal de estimação, para tornar a vida dele mais tranquila.

– Esconda petiscos e estimule o animal a procurá-los. Com o tempo, o animal começa a procurar em volta da casa com a esperança de encontrar alguma surpresa. No início, coloque em lugares mais fáceis. Comece a aumentar a dificuldade e dificulte cada vez o acesso.

– Garrafas pet, podem ser um pouco barulhentas, mas para alguns cães, a diversão é garantida. Faça alguns furos nas laterais e coloque alguns petiscos e/ou ração. Estimule o animal a brincar com a garrafa, de forma que conforme a brincadeira acontece, o petisco saia da garrafa. No início, faça buracos maiores. Conforme o tempo, diminua os buracos para dificultar a brincadeira.

– Compre ossos e brinquedos mastigáveis. Teste os tipos de brinquedos porque cada animal tem uma preferência e nem todos se interessam pelo mesmo tipo de brinquedo. Cuidado com brinquedos que soltam partes para que o animal não engula e acabe sofrendo com obstruções e corpo estranho.

– Os animais amam correr de um lado para o outro dentro de casa. Muitas vezes, os tutores reprimem os animais por conta desse comportamento, mas o ideal seria adaptar e ajustar nossa casa para essa atividade.

– Brinquedos grandes que podem fazer parte da decoração. Existem hoje diversas lojas especializadas que oferecem brinquedos grandes, principalmente para gatos, que podem fazer parte da decoração da sua casa e ao mesmo tempo ser uma ótima distração para o seu animal.