Coluna Seguros: Eventualidades e Utilização de Seguros

Coluna Seguros: Eventualidades e Utilização de Seguros

Posted by: Carolina Vilanova
Em: 11/10/2017

Hits: 7

A coluna Seguros é escrita por Fernanda Souza, consultora em seguros com pós graduação em Previdência pela FGV
A coluna Seguros é escrita por Fernanda Souza, consultora em seguros com pós graduação em Previdência pela FGV

Seguro é um produto que nos tranquiliza, mas contratamos sem desejar consumir. Porém eventualidades acontecem e quando é um evento coberto por uma apólice que contratamos, dos males o menor, mas assim mesmo é comum vir com desconforto, então vamos colocar aqui pontos básicos para utilização de seguros.

Automóvel

Em ocorrências que envolva a utilização do seguro do seu automóvel, sendo colisão, pode ser caracterizado como sinistro parcial ou integral. O sinistro parcial é quando o veículo sofre uma colisão ou qualquer outro dano que não atinja 75% do valor segurado do bem. Ultrapassando esse percentual é definido como “Perda Total”, caracterizando sinistro integral. Roubo ou furto sem a recuperação do bem também é considerado sinistro integral, cuja indenização encerra a vigência da apólice.

Os seguros de automóvel hoje são contratados em duas modalidades:

1 – Restrito: Cobertura apenas para incêndio e roubo

2 – Compreensivo: Mais completo cobrindo incêndio, roubo, colisão e terceiros

Para entrada no processo de sinistro de automóvel é de praxe a solicitação de:

  • Relato do ocorrido apontando local, data e danos causados aos veículos envolvidos.
  • Boletim de Ocorrência Policial, obrigatório em caso de roubo/furto ou acidente com vítimas
  • CNH dos envolvidos.
  • Informações do veículo terceiro (modelo, placa, ano) e dados para contatos.

Fique atento para que os bens danificados não fiquem desassistidos, e em casos de danos por colisão, verifique o valor da franquia contratada se está abaixo do custo para reparo do veículo segurado, considere também a queda na sua classe de bônus, que mesmo em caso de reparo somente ao veículo do terceiro envolvido, ela também se altera, neste caso isenta-se apenas a participação do segurado no pagamento da franquia.

Enchentes e Alagamentos

Como já citado aqui em uma outra matéria, a contração de seguro automóvel no formato restrito não há cobertura para enchente/alagamento, já no formato compreensivo existe a cobertura, desde que o risco não tenha sido agravado pelo segurado, exemplo: o segurado resolve assumir o risco e atravessar uma área alagada, neste caso não há cobertura.

Atualmente em seguros residências e empresariais a cobertura é exclusa para eventos decorrentes de fenômenos da natureza como terremotos, maremotos, erupção vulcânica, alagamentos, meteoritos, enchentes por agua da chuva, rio, mar, lago, represa ou adutora.

Já enchentes por causa isolada, ou seja, por acidente como vazamento de encanamentos prediais, disparo de dispositivo no combate a incêndio como sprinkler por exemplo, pode-se incluir a cobertura na apólice contratando como cobertura adicional.

Prazos

As seguradoras têm o prazo de 30 dias para analisar um sinistro sempre contados após recebimento de toda documentação solicitada.

Referente a entrada no processo, é importante saber que o direito à indenização de seguro também prescreve, o próprio segurado tem 1 ano para avisar à seguradora o ocorrido e terceiros como dependentes legais em caso de seguro de vida por exemplo, tem 3 anos ou o direito prescreve.

Perfil

As seguradoras precificam seu risco analisando seu perfil, por isso é importante estar atento às informações que enviamos para emissão de proposta e sempre que houver alguma alteração, informar seu corretor para atualização da sua apólice. Lembre-se de manter o pagamento do seu seguro sempre em dia para evitar transtornos.

Consulte sempre um corretor de seguros.