Frete a Frete: entrevista com motoristas de VUC

Frete a Frete: entrevista com motoristas de VUC

Posted by: Carolina Vilanova
Em: 08/04/2020
Edson Venâncio

Apesar de ser de São Paulo, encontramos o Edson Venâncio, de 37 anos, fazendo entregas em Peruíbe, que fica no litoral sul de São Paulo. O Edson trabalha como motorista desde os 19 anos e há dez anos ele dirige o veículo próprio. Atualmente ele usa uma Iveco ano 2015 para fazer transporte de cargas fracionadas, mas também já dirigiu caminhões. Para adquirir o seu veículo e ser seu próprio chefe, o motorista usou o dinheiro de uma rescisão após sair da empresa de onde trabalhava. Edson está bastante contente com a profissão que escolheu. “A melhor parte é estar sempre em movimento, viajando”, explica.

 

Frete a Frete: entrevista com motoristas de VUC
João Paulo Moreira dos Santos

O João Paulo Moreira dos Santos tem 38 anos e há sete trabalha como motorista. Ele atualmente atua na Cléber Flores, uma floricultura localizada em Santos (SP). Ele dirige uma Sprinter 2019 que pertence a empresa e diz gostar bastante do que faz. Antenado, o João Paulo acompanha o mercado de VUCs e, apesar de estar bastante satisfeito com o veículo que dirige, acha que uma Iveco Daily talvez fosse uma opção melhor. “A Iveco aguenta mais peso”, diz o motorista.

Alex Holanda

O Alex Holanda, de 42 anos, é de São José dos Campos e há mais de dez anos trabalha como motorista. Experiente, ele já dirigiu caminhões e vans de passageiros. Atualmente ele faz transportes para a Transporta Marbella, entregando sempre nas farmácias Farmaconde. Ele dirige uma Renault Master 2020. Orgulhoso de sua mais recente aquisição, ele explica que começou a atuar com o próprio veículo em 2015, dirigindo uma Renault Master baú. Quando perguntamos o que ele mais gosta na profissão, ele logo abriu um sorriso e nos disse que gosta de tudo, mas a parte favorita era de cada dia estar em um lugar diferente.

 

Pablo Ramon

O Pablo Ramon, de 25 anos, começou há trabalhar como motorista há pouco tempo, só seis meses. Apesar disso, ele está bastante contente com o novo trabalho. O Pablo explica que trabalhava em construção civil e que, como sempre quis trabalhar como motorista, quando conseguiu uma oportunidade, a agarrou a chance com unhas e dentes. Ele trabalha para a empresa Vita Hortifruti e dirige uma Hyundai HR, ano 2013. Para o Pablo, o serviço não tem cara de trabalho e sim de lazer. “Trabalhar na rua é muito bom, o trabalho vira um passeio”, conta empolgado. Quando perguntamos se ele tinha vontade de trabalhar por conta própria, o motorista responde que não. “É melhor trabalhar para empresa”, finaliza.

 

José Claudio Seregatt, engenheiro de manutenção da TA

A marca TA unificou as suas operações de transporte rodoviário, aéreo e armazenagem. Com essa nova configuração, três empresas foram reunidas: Transportadora Americana, TA Logística e TA Express, todas sob a marca TA.

Segundo a companhia, ao integrar a expertise de cada unidade, passa a atuar como uma única empresa, otimiza recursos e amplia a oferta de serviços, com maior eficiência, inteligência tributária e capacidade de flexibilizar soluções para os mais diversos setores. A empresa oferece serviços de logística, encomendas expressas e transporte de cargas.

Para os serviços de transporte e entregas, a empresa conta com uma frota de mais de 1250 veículos leves, médios e pesados. A frota de VUCs é composta de própria e agregada. Na sua frota própria, a empresa conta com dez veículos MB 710 Plus.

“Esses veículos foram escolhidos por sua capacidade de carga, durabilidade mecânica, facilidade em peças de reposição e mão de obra para reparos, valor de aquisição”, afirma José Claudio Seregatt, engenheiro de manutenção da TA. Os serviços mais utilizados por essa frota são a coleta e entrega de carga geral fracionada a granel.

Mas a frota de VUCs atual deve ter mudanças. “Com as rígidas legislações sobre a restrição de trânsito nos grandes centros metropolitanos, esta frota deverá ser substituída por frota mais leve”, explica Seregatt.