História do VUC: Distribuição otimizada em centros urbanos

História do VUC: Distribuição otimizada em centros urbanos

Posted by: Carolina Vilanova
Em: 14/08/2019

Categoria de veículos de carga usados para fazer distribuição nas cidades ganharam protagonismo a partir de 2008 com a restrição de caminhões grandes e estão em alta no mercado, desde então, hoje são 5,3 milhões de veículos comerciais leves rodando no Brasil

Texto: Carol Vilanova

Fotos: Divulgação

A sigla VUC significa Veículo Urbano de Carga e seu nome diz tudo: são os modelos ideais para fazer distribuição de mercadorias em grandes centros urbanos. É o termo usado para a categoria de caminhões semi-leves e leves, além de furgões e picapes que são utilizados para o transporte de carga e obedecem a certas regras atribuídas, principalmente, para a melhoria da mobilidade no trânsito das cidades.

Tudo começou em 2008 quando uma lei passou a restringir a circulação de caminhões pesados em grandes cidades, como São Paulo. Na capital paulista, por meio do DECRETO Nº 48.338, de 10 de maio de 2007, quando o prefeito era Gilberto Kassab, foram estabelecidas normas para o trânsito de caminhões e para operações de carga e descarga em estabelecimentos situados no município.

Naquela época, determinou-se que apenas veículos com largura máxima de 2,2m e comprimento máximo de 6,30m, poderiam circular na cidade, sendo que sua capacidade de carga não poderia ultrapassar as 3 toneladas, justamente os VUCs. Essas medidas, porém, foram alteradas em 2016, com a portaria 031/16, liberando a circulação de VUCs com maior comprimento, passando o limite de 6,3 metros para 7,20 metros.

Além do tamanho, outras regras orientam os veículos que fazem a distribuição de cargas na cidade. Uma delas é atender aos limites de emissão de poluentes, cuja especificação é determinada pelo Programa de Controle de Emissões Veiculares (Proconve), e determina que os veículos deverão ter no máximo cinco anos para circular no centro da cidade. Assim, os veículos conseguem autorização para trafegar nessa chamada Zona de Máxima Restrição de Circulação (ZMRC), de São Paulo.

Outro ponto importante é o local e horário que eles podem circular. Houve então a a redução do tempo de restrição para circulação de caminhões no centro da cidade e a exigência de AETC – Aurotização Especial de Trânsito para Caminhões.

Veja no link os detalhes da portaria: http://www.cetsp.com.br/media/466714/portaria-031-2016-smt-gab.pdf.

Todas essas medidas foram revistas para melhor a mobilidade urbana, reduzir a emissão de gases poluentes e permitir aos transportadores ganhar em produtividade com o aumento da capacidade de carga dos veículos.

 

A frota dos pequenos guerreiros

Nosso mercado de veículos cresceu nos últimos anos, depois de um período difícil, as vendas foram retomadas. Um estudo elaborado pelo Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores) traz o número da frota circulante no Brasil em 2018, que foi de 44,80 milhões de unidades, entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, um aumento de 1,9% em comparação a 2017. É bom registrar também que rodam no Brasil cerca de 13,12 milhões de motocicletas.

Segundo o estudo, as projeções indicam crescimento de 2,3% em 2019 e de 2,6% em 2020, ou seja, a frota brasileira alcançará, em termos absolutos, 45,8 milhões e 47,1 milhões de veículos, respectivamente. A idade média dos veículos hoje é de 9 anos. A frota circulante exclusiva de veículos comerciais leves é de 5,3 milhões até o final de 2018. E a previsão é que esse número cresça 3,5% até o final deste ano.

Frota circulante de comerciais Leves

2012      4.199.866

2013      4.522.584

2014      4.853.583

2015      4.996.122

2016      5.072.404

2017      5.173.023

2018      5.333.843

2019      5.520.661             previsão

2020      5.727.520             previsão

* dados Sindipeças

 

Falando de vendas no primeiro semestre de 2019, de acordo com a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), foram vendidos 1.919.047 veículos neste período, somando automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros. Isto representa crescimento de 13,45%, na comparação com o mesmo período do ano passado.

No nosso segmento de VUC, a Fenabrave divide em duas categorias: caminhões e comerciais leves. O segmento de caminhões inclui todos os tamanhos, enquanto que os comerciais leves abrangem picapes pequenas, furgões e furgões pequenos.

Somando os comerciais leves, foram vendidos 183.011 no primeiro semestre, este número representa crescimento de 8,5% em relação ao semestre do ano passado, que teve 168.677 unidades comercializadas.

Ainda no relatório da Fenabrave, o número de caminhões vendidos registrado em todas as categorias, ficou assim: alta de 44,93% nas vendas do primeiro semestre de 2019, sobre mesmo período de 2018, totalizando 46.867 unidades.

O presidente da associação, Alarico Assumpção Junior destaca a categoria de vendas diretas, que registraram um crescimento mais acelerado na comparação com o desempenho obtido no varejo. “Para termos uma ideia, no acumulado de janeiro a junho, as Vendas Diretas representaram 45,06% dos emplacamentos de automóveis e comerciais leves, contra 40,04% no mesmo período de 2018. E, enquanto o varejo cresceu 2,15% nesse período, as Vendas Diretas avançaram 23,59%”, alertou o presidente.

COMERCIAIS LEVES:

Picapes Pequenas mais emplacados – 1º semestre de 2019

Modelo                                               Jun         Acumulado         Part.

1º FIAT/STRADA                              6.416    36.273                  58,82%

2º VW/SAVEIRO                              3.257    18.986                  30,79%

3º GM/MONTANA                          1.064    6.407                    10,39%

Total                                               10.738 61.672                 100%

 

Picapes Grandes mais emplacados – 1º semestre de 2019

Modelo                                               Jun         Acumulado         Part.

1º FIAT/TORO                                   4.923    28.599                 29,55%

2º TOYOTA/HILUX                           3.043    19.810                  20,47%

3º GM/S10                                         2.871    14.114                  14,58%

4º FORD/RANGER                           1.871    9.740                    10,06%

5º VW/AMAROK                             1.511    9.433                    9,75%

6º RENAULT/OROCH                      1.323    6.034                    6,23%

7º MITSUBISHI/L200                      911        4.867                    5,03%

8º NISSAN/FRONTIER                    681        3.837                    3,96%

9º RAM/2500                                    23           333                        0,34%

10º EFFA/V22                                   5             9                             0,01%

11º AGRALE/AGRALE MARRUA 2             4                             0,00%

Total                                                     17.168 96.798                 100% 

 

Furgões mais emplacados – 1º semestre de 2019

Modelo                                               Jun         Acumulado        Part.

1º RENAULT/MASTER                    620        4.308                    27,46%

2º FIAT/DUCATO                             428        2.319                    14,78%

3º VW/EXPRESS                               254        1.551                    9,89%

4º HYUNDAI/HR                               508        1.262                    8,04%

5º KIA/K2500                                    202        1.208                    7,70%

6º M.BENZ/SPRINTER 313            122        982                        6,26%

7º PEUGEOT/EXPERT                     139        953                        6,08%

8º CITROEN/JUMPY                       139         904                        5,76%

Total                                                     2.766    15.687                 100%

 

Furgões pequenos mais emplacados – 1º semestre de 2019

Modelo                                               Jun         Acumulado        Part.

1º FIAT/FIORINO                             1.341    7.554                    85,55%

2º PEUGEOT/PARTNER                 93           982                        11,12%

3º CITROEN/BERLINGO                 27           216                        2,45%

4º FIAT/STRADA                              1             37                          0,42%

Total                                                     1.471    8.830                    100%

 CAMINHÕES 

Semi-leves mais emplacados – 1º semestre de 2019

Modelo                                               Jun         Acumulado         Part.

1º M.BENZ/SPRINTER 415            234        1.068                    39,24%

2º VW/6.160                                     59           573                        21,05%

3º M.BENZ/SPRINTER 515            104         510                        18,74%

4º FORD/F350                                  50           437                        16,05%

5º IVECO/DAILY 55C17                  18           84                          3,09%

6º VW/4.150                                     1             20                          0,73%

Total                                                     467        2.722                    100%

 

Leves mais emplacados – 1º semestre de 2019

Modelo                                               Jun         Acumulado         Part.

1º VW/9.170                                     238        1.507                    28,00%

2º M.BENZ/ACCELO 1016             178        1.224                    22,74%

3º M.BENZ/ACCELO 815               102        771                        14,33%

4º FORD/CARGO 816                     82           693                        12,88%

5º FORD/F4000                                93           676                        12,56%

6º IVECO/DAILY 70C17                  24           142                        2,64%

7º HYUNDAI/HD 80                        16           122                        2,27%

8º M.BENZ/ACCELO 915               18           92                          1,71%

9º VW/9.160                                     0             60                          1,11%

10º VW/10.160                                3             35                          0,65%

Total                                                     761        5.382                    100%

 

Médios mais emplacados – 1º semestre de 2019

Modelo                                                Jun         Acumulado         Part.

1º VW/11.180                                   455        2.069                    54,49%

2º FORD/CARGO 1119                   61           617                        16,25%

3º M.BENZ/ATEGO 1419              54           350                        9,22%

4º M.BENZ/ACCELO 1316             42           245                        6,45%

5º VW/13.190                                   24           180                        4,74%

6º FORD/CARGO 1419                   2             166                        4,37%

7º VW/13.160                                   1             63                          1,66%

8º M.BENZ/1418                             9             46                          1,21%

9º VW/13.180                                   9             30                          0,79%

10º IVECO/TECTOR 11-190          0             6                             0,16%

Total                                                     659        3.797                    100%