Moro em apartamento, posso ter um cachorro?

Moro em apartamento, posso ter um cachorro?

Posted by: Carolina Vilanova
Em: 10/07/2019
A coluna Meu animal é escrita por Ana Julia L. Cagnassi, Médica Veterinária formada pela Universidade Metodista de São Paul
A coluna Meu animal é escrita por Ana Julia L. Cagnassi, Médica Veterinária formada pela Universidade Metodista de São Paulo

As casas estão ficando cada vez menores e a tendência urbana é a migração para os apartamentos ainda menores. Os do tipo estúdio e loft estão em alta constante no mercado imobiliário e estes ambientes menores afetam diretamente os nossos pets, pois eles precisam se acostumar a viver em um ambiente muito menor e muitas vezes passar horas do dia sozinhos.

A realidade é que os cachorros de quintal de antigamente, não existem mais nos dias de hoje. Atualmente, esses mesmos cães estão dentro de casa, dormindo nas camas, descansando nos sofás e sendo tratados como membros das famílias.

Afinal, será que é possível criar qualquer cão em um apartamento? É claro que os cães, sejam eles de pequeno, médio ou grande porte, podem se adaptar a viver em ambientes menores, desde que o tutor ofereça subsídios para que ele tenha uma boa qualidade de vida; não importa o porte, todos precisam de atenção e cuidados!

Cães de pequeno porte tem mais facilidade de viver em um ambiente reduzido, normalmente são mais calmos e mais dependentes de seus donos. Os cães de porte médio e grande geralmente demandam um espaço maior para correr, brincar e socializar, já que eles têm mais energia para gastar.

Veja abaixo algumas dicas que você pode seguir para que o seu pet tenha uma vida confortável e saudável, lembrando que é importante seguir sempre as orientações do seu Médico Veterinário.

Levar seu cão para passear com frequência, além de ser uma atividade para gastarem energia, são importantíssimas para os cães socializarem e conhecerem as redondezas de onde vivem. É ideal que você leve seu cão para passear pelo menos duas vezes por dia, não só para que ele faça suas necessidades, mas para que vocês compartilhem o momento juntos. Se atente com a condição física do seu pet, sempre siga as orientações do Médico Veterinário.

Contratar um Pet Sitter pode ser uma boa opção para aqueles cães que ficam muito tempo do dia sozinhos. Esse profissional visita a sua casa e fica por um tempo interagindo com o seu pet, podendo ou não passear com ele.

Dog Walkers estão muito famosos hoje em dia, são os profissionais que passeiam com o seu cachorro por um período, podendo ser um passeio rápido no quarteirão até um passeio mais longo no parque. Busque recomendações de conhecidos e opte por profissionais reconhecidos no mercado.

Creches e Day Care tem crescido muito no mercado pet, principalmente como anexos de pet shops e clínicas veterinárias. A ideia é que o seu pet brinque, socialize e passe um período com outros cães; geralmente esses lugares possuem recreadores, piscina, brinquedos e área com grama.

Enriquecimento ambiental em casa. Existem milhares de opções de brinquedos em lojas especializadas que podem manter seu cão ocupado, longe do tédio e de ansiedade, ajudando-o a gastar energia.

Educar seu cachorro é muito importante para evitar surpresas desagradáveis, ou seja, ensine seu cão o que é ou não permitido dentro de casa. A ingestão de produtos de limpeza, plantas tóxicas, objetos perfurocortantes e pedaços de móveis é um problema comum para os tutores que possuem cães ociosos.

Um fator de segurança extremamente importante é a tela nas sacadas e janelas, mais do que uma boa prática, é uma obrigação do tutor proteger o seu animal. Com as redes de proteção é essencial para os pets que vivem em apartamento, principalmente para os que ficam muito tempo sozinhos.

Não se esqueça de sempre seguir as orientações do seu Médico Veterinário e visitá-lo frequentemente para que o seu pet tenha uma vida saudável.