Transporte de cargas cada vez mais conectado

Transporte de cargas cada vez mais conectado

Posted by: Carolina Vilanova
Em: 29/04/2022

Hits: 28

Na sessão Logística, o tema é Transporte de cargas cada vez mais conectado. Dispositivos conectados, gestão inteligente e automatização dos sistemas são as ferramentas da nova e mais moderna forma de fazer logística

Carol Vilanova

Fotos: Freepik

Novas expressões circundam nossa vida profissional e pessoal todos os dias. No transporte uma expressão ganhou força recentemente e tem se tornado um divisor de águas para na distribuição de cargas em todo o mundo. Logística 4.0: um termo que se baseia no uso de recursos tecnológicos para dar mais produtividade aos processos logísticos, seja em grandes ou pequenas frotas.

O grande ponto dessa expressão é oferecer ao setor logístico traz mais velocidade, mais eficiência e redução nos custos da operação, resultando em mais produtividade e consequentemente maior lucro. É o que toda empresa de transporte quer, é o que todo transportador autônomo quer.

Entre no nosso podcast

Acesse os vídeos no You Tube

Leia a Revista Frete Urbano

A logística 4.0 é frequentemente influenciada pela conectividade, digitalização e automação, envolvendo centros de distribuição, cadeia de suprimentos, processos robotizados, metodologias inteligentes veículos conectados, e por aí vai. É uma via de mão dupla, se a indústria evolui, o abastecimento e as vias dele devem acompanhar esse desenvolvimento, para trazer lá na ponta, para o consumidor, mais diversificação e conforto.

Transporte de cargas cada vez mais conectado
* foto: freepik.com

Stefan Rehm, CEO do Grupo Intelipost, fala sobre um novo momento no segmento logístico, com segurança, tecnologia e alta conectividade. “Ao mesmo tempo, também assistimos a um aumento na atenção para a experiência do consumidor e para modelos de entregas mais flexíveis. Isso muda a velocidade da informação, impacta na celeridade da tomada de decisão e torna as operações logísticas ainda mais estratégicas”, revela Rehm.

Rehm reforça que, acelerada pela pandemia e cercada de inovações, a digitalização da cadeia logística tem como desafio simplificar processos para que as operações sejam cada vez mais ágeis e eficientes.

Para que serve a Logística 4.0

De maneira mais simples, é possível dizer que a logística 4.0 opera sob as diretrizes da Indústria 4.0, ou seja, com a finalidade de tornar a operação “smart” (inteligente, em inglês), criando um sistema produtivo eficiente e racional por meio da automatização. É o que acontece com a Logística 4.0, que visa otimizar a operação e os processos logísticos.

Para isso, a Logística 4.0 faz uso de equipamentos tecnológicos que fornecem mais produtividade, são eles veículos, contêineres, paletes e métodos de transporte inteligentes, que promovem a criação de um fluxo de abastecimento automatizado, que funcione em rede.

Assim, a logística consegue operar em um ecossistema operacional completamente moderno, que oferece aos competidores da cadeia de abastecimento a visibilidade necessária para nortear o transporte e elaborar outros serviços logísticos de forma otimizada.

A logística 4.0 visa promover a modernização de toda a operação, ou seja, do estoque até o planejamento da distribuição.

Transporte de cargas cada vez mais conectado

Como funciona

O funcionamento da logística 4.0 se dá por meio da integração tecnológica dos processos logísticos corporativos, aproveitando assim as vantagens da automação, da inteligência artificial e do IoT (internet das coisas) para chegar a uma operação mais modernizada.

Preconizando, então, um funcionamento em rede, ou seja, conectado, dos processos, dentro e foras das empresas, passando pela produção até as negociações comerciais, incluindo controle descentralizado das operações logísticas.

O ponto de ligação entre as pontas da operação é a tecnologia feita por intermédio de sistemas ciber físicos, dispositivos smart, equipamentos autônomos, aí incluímos as máquinas e os veículos, além da tecnologia inteligentes, que possuam capacidade de decisão.

Com o uso da logística 4.0 é possível oferecer um melhor nível de serviço; mais qualidade de entrega; maior capacidade de entregar; mais confiabilidade de entrega; e melhor flexibilidade de entrega.

Box: Principais tecnologias da logística 4.0

– Internet das Coisas; Inteligência Artificial; Serviços em nuvem; Big Data; Digital twin; Aprendizado da máquina

Existem diversas tecnologias de logística 4.0 para auxiliar as empresas, destacando a automatização da cotação de frete, uso de Inteligência Artificial para roteirização inteligente, monitoramento de cargas em tempo real, além da geração de etiquetas de rastreio e da auditoria de faturas, que por meio da leitura automática das faturas permite a verificação em relação às tabelas de fretes negociadas com as transportadoras.

Rehm revela que essas estratégias desenvolvidas pelo Grupo Intelipost contribuem para uma melhor gestão de dados das operações, aperfeiçoam as integrações entre os agentes logísticos e conferem maior visibilidade aos processos fiscais.

Em razão da complexidade do sistema logístico, o executivo pondera que grandes mudanças levam algum tempo para tornarem-se evidentes, mas isso não significa que não estejam acontecendo. “Já há uma nova forma de fazer logística no país, agora precisamos correr para expandir e alcançar cada vez mais pessoas, criando acessos para que pequenos e médios negócios também possam operar de maneira competitiva”, finaliza.

Impacto nos negócios

A abordagem do conceito de logística 4.0 envolve muito além do uso de computadores, entrando no universo dos sistemas de softwares, serviços em nuvem e muitos outros métodos para promover o melhor controle dos procedimentos de transporte e sua cadeia. A grande questão é combinar a logística com o que há de mais avançado em termos de tecnologia.

Dessa forma, a ideia é fornecer processos mais organizados e transparentes para os clientes, aplicando primeiramente um sistema de gestão empresarial a fim de beneficiar o negócio com eficiência operacional, redução de perdas, informação em tempo real, conectividade e satisfação do cliente.